Câmara de Cabedelo abre processo de cassação de prefeito preso

0 199

A Câmara de Vereadores de Cabedelo aceitou, na noite desta quinta-feira (22), por unanimidade, a admissibilidade e abriu o processo de cassação do prefeito Leto Viana e do vice-prefeito Flávio de Oliveira, afastados pela operação Xeque-Mate.

Antes da aprovação nesta quinta, a aprovação do processo de impeachment havia sido adiado por duas vezes seguidas. A primeira tentativa de votação da admissibilidade ocorreu no dia 15 de maio. A presidente interina da Casa, Geusa Ribeiro (PRP), no entanto, decidiu remeter o processo a assessoria jurídica por ter apenas dois vereadores eleitos de fato na câmara, tendo em vista as prisões e afastamentos de 10 parlamentares.

Em seguida, na quarta-feira (23), os parlamentares seguiram o parecer da assessoria jurídica do Legislativo e adiaram pela segunda vez. O documento elaborado por Vandalberto Carvalho sugeriu que fosse enviado ao Tribunal de Justiça um ofício solicitando cópia das provas contra os gestores.

Leto Viana e outras 10 pessoas foram presas durante uma operação que investigou um esquema de corrupção dentro da Prefeitura de Cabedelo. O ex-prefeito foi apontado como o líder do esquema de corrupção na administração pública do município. Entre os presos, cinco são vereadores.

 Leto Viana está preso desde 3 abril dentro das investigações da operação Xeque-Mate, da Polícia Federal. O vice-prefeito, por sua vez, não está preso, mas se encontra afastado. A PF e o Ministério Público da Paraíba identificaram um suposto esquema na Prefeitura de Cabedelo que desviou cerca de R$ 20 milhões.

Com G1

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.