Crise afetou 98% do setor de eventos e Thiago defende inclusão do segmento no plano da retomada da economia de João Pessoa

0 154

O vereador Thiago Lucena (PRTB) defendeu a inclusão do setor de eventos no Plano de Retomada da Economia de João Pessoa, destacando que é essencial o início de uma série de discussões que garantam a volta dos trabalhos. Para o parlamentar, é necessário planejar e produzir ações governamentais locais que garantam a volta ao trabalho de milhões de pessoas de uma forma segura, respeitando as restrições e recomendações sanitárias em observação à pandemia causada pelo coronavírus.

Levantamento feito pelo Sebrae mostra que a pandemia do coronavírus afetou 98% do setor de eventos. Para tentar amenizar os efeitos da crise, empresários tentam negociar prazos: 34% devolveram o dinheiro para o contratante, mas 35% deles contam que conseguiram negociar crédito para utilizar futuramente.

Thiago lembra que é importante o governo municipal e estadual observar que toda recuperação no setor de eventos levará a investimentos incrementais em viagens, hotéis, restaurantes, shopping centres, entretenimento e atividades culturais. “Para a volta das atividades dos eventos, é essencial apoiar a retomada de negócios de vários setores das comunidades também dizimados pela Covid-19. A cadeia que envolve o setor de evento é muito grande. Milhares de famílias são sustentadas por este setor, na nossa cidade. Temos que começar a discutir possibilidades com o setor produtivo e os governos”, disse.

Como forma de início de uma retomada segura, o vereador Thiago Lucena destaca o aparecimento dos drive-ins como um primeiro passo para a retomada de projetos do segmento de eventos no mercado nacional. “Podemos pensar em diversas possibilidades que garantam o retorno das atividades no setor. O mais importante é garantir a segurança das pessoas, mas diversas iniciativas pelo mundo nos mostram que existem possibilidades e que podemos adotá-las aqui em João Pessoa”, destacou.

Segurança – Um estudo elaborado pelo “GO LIVE Brasil – Juntos pelos Eventos”, mostra que enquanto a retomada não ocorre deve-se aproveitar o final do período de isolamento social para: Elaborar o plano de volta às atividades; Treinar as equipes; preparar os locais de realização dos eventos; verificar a adequação das equipes de serviços terceirizados aos novos standards; reforçar os serviços médicos e procedimentos de emergência; coordenar registro de participantes (montagem, realização, desmontagem); Identificar medidas para prevenir o contágio nos eventos; avaliar possíveis controles e testes na entrada dos eventos; avaliar quantidade de participantes em espaços fechados e garantir a disponibilidade de EPIs.

O projeto envolve três pilares: segurança, impacto e legislação. As entidades desenvolveram um Protocolo para a Retomada da Indústria de Eventos no Brasil, com base em protocolos da OMS e outras instituições nacionais e internacionais, que está sendo disponibilizado a autoridades governamentais.

Retorno – Os profissionais do setor de eventos não concordam com expressões como: Setores de Turismo, Aviação, Hotelaria e Eventos serão os últimos a retomar suas atividades; grandes empresas cancelarão seus eventos até 2021; as empresas proibirão a participação de seus executivos em eventos; Participantes evitarão locais de eventos com aglomeração; expositores e patrocinadores cortarão suas verbas de eventos; os eventos virtuais substituirão os eventos presenciais; os locais de eventos permanecerão fechados por tempo indeterminado e as agências e empresas fornecedoras de eventos não conseguirão sobreviver.

Assessoria

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.