Nobel de Medicina diz que coronavírus saiu de laboratório chinês

0 79

Em uma entrevista ao site francês Pourquoi doctor? (“Por quê doutor?”, em português), o professor e Nobel de Medicina francês Luc Montagnier explica que não acredita que a covid-19 seja originária da contaminação em um mercado de animais selvagens na China. “É apenas uma história da Carochinha, mas não é real. O vírus saiu de um laboratório de Wuhan”, declarou.

Montagnier, premiado com o Nobel pela “descoberta” do HIV em 2008, afirmou ainda que “o laboratório da cidade de Wuhan se especializou nesse coronavírus desde o início dos anos 2000. Eles têm experiência nessa área”, disse.

O professor explica ter analisado “nos mínimos detalhes” a sequência com seu colega matemático Jean-Claude Perrez: “Não fomos os primeiros, já que um grupo de pesquisadores indianos tentou publicar um estudo que mostra que o genoma completo desse coronavírus [possui] seqüências de outro vírus, o HIV, o vírus da AIDS”, explicou.
O pesquisador diz que o grupo indiano de pesquisa teve que se retratar após sua publicação. Ele afirma que “a verdade científica sempre acaba surgindo”. Segundo ele, a sequência do HIV foi inserida no genoma do coronavírus na tentativa de fazer uma vacina contra o HIV. “É o trabalho de um aprendiz de feiticeiro”, comenta.

Após ganhar o Prêmio Nobel de Medicina, ao lado da pesquisadora Françoise Barré-Sinoussi, o professor Luc Montagnier foi acusado de “desvios científicos”. Em 2009, ele apresentou teorias controversas sobre a origem do HIV e sua transmissão. Em 2017, 100 acadêmicos denunciaram suas posições anti-vacinas e pediram ao Colégio de Médicos que a sancionasse.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.