Agora no Flamengo, Pedro cobra mais de R$ 2 mi de Fluminense na justiça

0 119

Horas antes de entrar em campo para enfrentar o Fluminense no Maracanã, o atacante Pedro, agora jogador do Flamengo, entrou na Justiça contra seu ex-clube, com uma cobrança no valor de R$ 2.240.257,08. O caso foi distribuído nesta quarta-feira para a 14ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro. O “Lance!” noticiou o caso em primeira mão e, posteriormente, o GloboEsporte.com o confirmou tendo acesso ao processo.

Dentre as cobranças da ação estão o pagamento de 13º salário proporcional de 2019, de férias do período 2018/2019, de sete meses de FGTS, de verbas rescisórias, de bichos, de despesas médicas, de dano moral pela lesão sofrida e de honorários advocatícios. Pedro é defendido no caso pelos advogados Carlos Theotonio Chermont de Britto e Aline Christino Simas.

O juiz Marco Antonio Belchior da Silveira, da 14ª Vara do Trabalho, marcou uma audiência de conciliação para o dia 24 de março. E, por ora, não atendeu aos pedidos do jogador, que desejava receber imediatamente as verbas rescisórias e o saldo do FGTS. O magistrado preferiu aguardar a defesa do Flu se manifestar.

Pedro deixa gramado do Mineirão de maca após se machucar em jogo contra o Cruzeiro — Foto: FERNANDO MICHEL/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Pedro deixa gramado do Mineirão de maca após se machucar em jogo contra o Cruzeiro — Foto: FERNANDO MICHEL/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Na petição, os advogados defendem também que o atacante tinha direito a um reajuste salarial de 25% nos meses de junho, julho e agosto de 2019 em razão da convocação para a seleção brasileira pré-olímpica, o que reflete no recálculo de diversas outras cobranças – na época, a remuneração do atleta era de R$ 135 mil. Havia a previsão do aumento no contrato de trabalho.

Em outro ponto, solicita que a lesão do atacante, sofrida em agosto de 2018, seja reconhecida como acidente de trabalho, pedindo assim indenização pela não contratação de seguro obrigatório em valor superior a R$ 1 milhão.

Pedido de exclusão do Ato Trabalhista

A petição alega também que o Fluminense não vem cumprindo as determinações do Ato Trabalhista e cobra a exclusão do Tricolor do programa, que visa organizar pagamentos de ações trabalhistas contra os clubes para evitar penhoras e bloqueios de créditos. Sustenta a solicitação pelo fato de o clube não quitar as verbas rescisórias e não recolher o FGTS, infrações previstas no acordo assinado em novembro de 2011.

Pedro foi revelado pelo Fluminense após passagens pelo futsal do Flamengo e pelas categorias de base de Bangu e Artsul. Ele defendeu o time principal do Tricolor entre 2016 e 2019, quando foi vendido para a Fiorentina, da Itália. Passou poucos meses no clube italiano, e voltou ao Rio de Janeiro, para defender o Rubro-Negro.

Globoesporte

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.