Bolsonaro e Onyx se reúnem em meio a crise na Casa Civil

0 15

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu neste sábado (1), no Palácio da Alvorada, com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

A conversa entre Bolsonaro e Onyx ocorre após o ministro antecipar o retorno das férias diante da crise vividas nos últimos dias.

O ministro teve a permanência na pasta questionada após a Casa Civil ser “esvaziada” por determinação de Bolsonaro, que mandou demitir auxiliares de Onyx e transferiu o Programa de Parceria de Investimentos (PPI), subordinado a Onyx, para o Ministério da Economia, de Paulo Guedes.

A crise teve início após Bolsonaro mandar exonerar o antigo número 2 da Casa Civil, José Vicente Santini, que utilizou uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) para ir ao Fórum Econômico Mundial, na Suíça, e para encontrar a comitiva de Bolsonaro na Índia.

Como estava à frente da Casa Civil, em razão das férias de Onyx, Santini poderia, por lei, utilizar os aviões da FAB para deslocamento. Contudo, Bolsonaro ficou irritado pois considerou a atitude “imoral”.

Demitido na terça-feria (28), Santini foi nomeado em seguida para outro cargo na Casa Civil. Bolsonaro, no entanto, decidiu tornar a nomeação sem efeito e ainda tirou o PPI da Casa Civil.

Um dos principais apoiadores de Bolsonaro na campanha eleitoral, o ministro também foi indagado se poderá trocar de pasta dentro do governo. Ele respondeu que a decisão é do presidente, seu “líder”.

Ao colunista do G1 Gerson Camarotti, Onyx afirmou nesta sexta que a hipótese de deixar a pasta é uma “onda” que se formou na imprensa.

Onyx estava de férias nos Estados Unidos, retornou a Brasília na sexta-feira (31) e voltou a despachar na Casa Civil. No mesmo dia, ele esteve com Bolsonaro e outros ministros no Alvorada em uma reunião que discutiu ações para lidar a ameaça de chegada do coronavírus ao Brasil.

A decisão de tirar o PPI da Casa Civil deixou Onyx sem uma das principais atribuições da pasta.

Um dos principais nomes da campanha de Bolsonaro, o ministro comandou a transição de governo e assumiu a Casa Civil, porém perdeu força desde o início da gestão Bolsonaro, em janeiro de 2019.

Onyx era o articulador político do Planalto, porém a missão foi repassada ao ministro Luiz Eduardo Ramos, chefe da Secretaria de Governo, que é general do Exército e amigo de Bolsonaro.

Também saiu da Casa Civil a Subchefia para Assuntos Jurídicos (SAJ), que analisa a viabilidade jurídica dos atos assinados pelo presidente. A SAJ em governos passados ficava na Casa Civil, mas foi transferida para a Secretaria-Geral, comandado pelo ministro Jorge Oliveira.

G1

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.