Morre o escritor e apresentador Luiz Gasparetto, aos 68

0 165

Morreu, nesta quinta-feira (3), o médium e escritor espírita Luiz Gasparetto, de 68 anos. Filho da também médium e escritora Zibia Gasparetto, 91, a mais famosa do Brasil, ele lutava contra um câncer de pulmão. A notícia foi divulgada na página de Luiz em seu Facebook.

“Luiz Gasparetto, o homem que deixa na Terra, seu legado de espiritualidade. Foram mais de 30 livros publicados, milhares de palestras em diversas cidades do mundo, muitas vidas e corações tocados por seus ensinamentos, e ele gostaria que você se lembrasse de que, melhorar o mundo, começa com a melhora de si mesmo. Faça acontecer! No mundo espiritual, tudo tem começo e meio. O fim só existe, para quem não percebe o recomeço. Nosso espírito é eterno. Feliz recomeço, Gaspa!”, dizia a publicação na web.

Luiz revelou lutar contra um câncer no pulmão em fevereiro deste ano. Em vídeo publicado no Facebook, o terapeuta espiritual apareceu mais magro e desabafou sobre a “escuridão” que trouxe a doença e afirmou não temer a morte. “Não estou triste nem abatido. Estou diagnosticado fisicamente com câncer no pulmão. Não tenho medo de morrer porque convivo com fantasmas o dia inteiro, como vou ter medo de morrer? A única coisa é a escuridão que me apareceu tão forte e me desafia. Muda tudo. Você reavalia tudo: a comida, como as pessoas agem, meu trabalho, meu amanhã”, afirmou.

Ele contou que tomou morfina para aliviar as dores. “Morrer não significa que essa escuridão não vai seguir comigo. Morrer não é a solução. Deixei de alguma forma minha ignorância penetrar em mim um ressentimento, por exemplo. Não tanto com pessoas, mas com a vida”, continuou.

Gasparetto manteve o tom sereno durante todo o vídeo. “Percebi que não estava errado amar, mas os canais com que eu expressava o amor. Você tem que esperar ter um câncer como eu para voltar a reassumir a sua alma como ela é e rever esse seu canal? Eu estou nesta prova. A coisa é séria, viu? Não brinca com isso, não. Também não brinquei, fiz o que eu sabia. A culpa só piora, deprime, deplora. Culpa é escuridão, não é luz. Mas não percebia que eu alimentei minha escuridão, ficou preta, sólida aqui dentro. Eu a vi quando a chapa do pulmão esquerdo cobrindo o coração”.

O psicólogo também foi apresentador do programa Encontro Marcado, exibido entre 2005 e 2008 na Rede TV!. “Não estou magoado com a vida. Achei que Ele fez muito certo de me dar essa doença, porque é uma oportunidade para mim, com a minha inteligência.”

Gasparetto encerrou o vídeo pedindo aos seguidores que não rezem por ele e, sim, que o imaginem saudável e de volta ao peso ideal. “Deus já está comigo, pode ficar calmo. Perdi muito peso, era mais gordinho, mais cheinho, mais gostoso”, brincou ele.

Revista Quem

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.